não profissional usando a filosofia de AA

22/01/2013 15:46

Casa dos Alcoólatras

Não profissional -  usando a filosofia de AA

Assim que entrei para os AA – tive um monte de gente torcendo pela minha recuperação, achava aquilo esquisito, pois era de graça e ainda parecia que as pessoas estavam puxando meu saco – Então não entendia como poderia funcionar se o pessoal mal contribuía para as despesas. A confusão mental piorou quando comecei a ver que assim como eu, várias pessoas tinham certa cultura, família forte e certa condição financeira enquanto outros mal tinham condição mental para freqüentar os AA, ou seja, o desnível era grande – misturei tudo e acabei mais atrapalhando do que ajudando, pois em todo setor social que eu havia freqüentado até conhecer os AA o dinheiro sempre fala mais alto e no AA não era bem assim – temos que esquecer nosso status ou posição social e nos irmanar como iguais (isto é a mais pura verdade em AA – quem fala mal de AA é exatamente porque não aceitou isto) – No AA não têm comando, mas tem que haver respeito e servidão – se entra um novato teremos o maior prazer em fazer o possível para que ele paralise com sua doença, porém não  podemos ,  não temos o direito de expulsar ninguém do AA – nesta hora observamos que AA é de graça e para todos – porém nem todos querem o AA para se recuperar do alcoolismo – Pois é muito fácil achar um local funcionando com pessoas falando de coisas pessoais, amando a Deus e até se expondo para poder ajudar, cafezinho , salas limpas, e um monte de gente bonita ou seja até quem precisa arrumar um casamento ou um dinheiro emprestado vai ser tentado num lugar deste. E também temos o outro extremo de pessoas que por possuírem um alto poder aquisitivo ou um grau de inteligência elevado acham que podem comandar um lugar simples de pessoas de respeito, ou seja, ele só freqüenta se colocarmos nosso grupo do modo dele - Nesta hora, nós os mais antigos, sempre tomamos a iniciativa de chamar a atenção de algum engraçadinho que não estiver respeitando a vida alheia. Aqui nada mais é que um grupo de intenção (pessoas intencionadas em não beber mais bebidas alcoólicas) ou ainda um movimento onde se une agradecendo a um poder superior por mais 24 horas de abstinência alcoólica. Não precisamos de muito dinheiro, nem patrimônio, não fazemos e nem recebemos doações de fora, não queremos comando nem interferência de pessoas que não tiveram problema com alcoolismo isto descaracteriza nosso objetivo – porém qualquer recuperação será mais sólida se ajudar ao outro gratuitamente (12º. Passo) –

Nunca vi nada igual ao AA no sentido  de uma recuperação por princípios espirituais – Nossa como isto aqui é forte, chego a pensar assim “como DEUS gosta de nós, alcoólatras” – qualquer um que conseguir entender o lado simples , nisto quero dizer que aceitar sem querer ser o tal, se dará muito bem aqui. Por isto, apenas ajudamos ao próximo sem interesses comerciais, acabei por me ajudando e hoje tenho 30 anos de abstinência alcoólica.

Resultado – nenhum serviço profissional passa nem perto da recuperação que vi em Alcoólicos Anônimos ou deste nosso movimento: alcoólatras ajudando alcoólatras.

Em resumo:

Estudei até o técnico de contabilidade e até fiz vestibular na Federal para Belas artes, passei e não fui fazer a matrícula – adorava ser um irresponsável, mas com  dinheiro no bolso- sempre fui trabalhador -  minha bebida preferida sempre foi Whisky ou seja sempre gostei de ser um rebelde sem causa – quando todos pensavam que eu não ida dar conta eu mostrava meu valor – quando todos achavam que eu ia fazer as coisas normais eu não sei como mas sempre avacalhava tudo. – acho que isto virou ou é traços de personalidade – quando entrei para AA uma das coisas que me incomodou foi ouvir outras pessoas dizerem que eu não ficaria que eu era muito arrogante para obra – não sei como, mas gente que falou que eu não agüentaria acabou por voltar a beber álcool e eu estou abstêmio do álcool desde o dia que cheguei em AA  (18/03/1982)– não conseguia fazer amigos em AA - fui de poucos amigos - sempre tive o hábito de discordar mas nunca deixei de ajudar. Portanto, nunca pensei que teria um resultado destes – veja

Até 2003 (logo que eu comecei a escrever sobre meu alcoolismo- ache no Google: milagre pela luta manoel coutinho) eu tinha uma estimativa de ter levado ou indicado mais de 2000 pessoas para o AA

Até 2001 eu havia tratado de mais de 300 mendigos na minha casa

Até 2006 eu usei um grupo de AA e, com o apoio do Albergue tia branca e do padre Zezinho  conseguimos encaminhar mais uns 100 mendigos para a vida social e familiar

Agora, neste atual endereço, entre 2007 e 2012 – tenho uma estimativa de ter dado grande grau de conscientização a mais de 200 bebedores problema que assim como eu (dá vontade de rir – eu não sei por que somos assim) discordam de tudo e de todos.

Eu nunca poderei ser profissional do alcoolismo

1 - Como cobrar por um serviço que não dá qualquer garantia?

2 - Como cobrar por algo que recebi de graça?

3 - Se algum dia eu precisar voltar a minha vida profissional eu nunca trocaria uma imobiliária por uma clinica – adoro comprar e vender imóveis.

4 – eu não posso trocar um índice de recuperação alcoólica não profissional que oscila entre  70/80% por outra profissional que oscila entre 1e2% - não sou louco

 

Uma  passagem que me serve de referencia

Eu ainda era menino quando vi uma entrevista do falecido Zé Arigó ( Zé arigó era um espiritualista que antecedeu Chico Xavier) – então um repórter perguntou ao Zé: - Se você é espiritualista porque você foi preso acusado de curandeirismo e charlatanismo ? o Zé ao invés de responder , disse o seguinte: Preso? – Aquilo foi umas férias que Deus me deu – olhou pro céu e disse: Oh Deus me dá outras férias – kkk

Em resumo se algum dia por qualquer motivo eu não puder ajudar se a prefeitura através de um de seus fiscais desinformados sobre o alcoolismo achar que devo fechar minhas portas – vou entender isto como umas férias – mas tenho hoje plena convicção que onde eu estiver, em qualquer lugar, eu serei procurado para orientar outros alcoólatras

 

Manoel Coutinho

 

 

ALGUNS  lugares  onde tentei orientar alcoólatras gratuitamente (não profissional)

Escolas           

Colégio Monte Líbano

                        Faculdade Pitágoras

Hospitais

                        Clinica Serra Verde

                        Raul Soares

                        André Luiz

                        Clinica Pinel

Comunidade Terapêutica

                        Caná – Rua Henrique Gorceix

Centro de Detenção

                        Dutra Ladeira

                        José Maria de Alckmin

                        D.I.

Casa de Apoio aos menos favorecidos

                        Albergue Tia Branca

                        Fraternidade Espírita Irmão Glauco

Grupos de AA onde eu fui o responsável (coordenador geral)

                        Grupo Fraternidade

                        Grupo União

                        Grupo Lagoinha

                        Grupo Prosperidade

Atenção; não estou fazendo referencia a pessoas que atendi nos grupos, a equipes que enviei para dar palestras em hospitais, escolas, presídios – Estou apenas dando referencia ao corpo a corpo não profissional, ou seja, coisa que fiz diretamente entre eu e outro alcoólatra – contudo os trabalhos que tive oportunidade de administrar com outros membros de AA (também não profissional) sempre deram bons resultados.

 

Coisas que escrevi para orientar alcoólatras – gratuitamente

Milagre pela luta (autobiografia) internet

Doenças paralelas – chamam a atenção para reorganizarmos os grupos de AA

Recuperação através de um grupo de AA – disponível – como me recuperar?

Noções básicas para AAs – distribuição gratuita entre membros do AA

Agradeço a Deus a visita da fiscal sanitarista – isto obrigou-me a inventariar meus trabalhos não profissionais – nunca pensei que um dia faria isto.

 

            Manoel Coutinho


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!